Competição de caiaque, torta na cara e Tangram foram algumas das atividades de 25/03/2017


Uma nova patrulha – Romeo (à espera de sua ‘Julieta’!?)

27 graus Celcius nesta linda manhã na Praia de Santa Helena em Vitória. Às 8 horas a movimentação já esquentava nas areias deste cenário de encantos e belezas. Era a Patrulha de Serviço, batizada com o nome de “Romeu” (em inglês Romeo), entrando em ação para organizar as coisas – gazebo, mesa e banquinhos – preparando toda a estrutura para a chegada dos nossos jovens e seus pais no nosso Grupo. Tem até uma bandeirinha que os escoteiros colocam junto com a bandeira de cada patrulha quando a mesma está de serviço de organização. O apelido “Romeu” foi colocado pelo chefe Richardson e fomos investigar o motivo.

Ele explicou que a letra “R”, associada no código internacional ao nome Romeu (tipo “R de Romeu”) é a única que não tem significado no código da sinalização de bandeiras. E além disso, na Marinha do Brasil, existe também um conceito similar ao da “patrulha de serviço” no escotismo e o nome equivalente à patrulha de serviço na Marinha é Romeu. Como somos escoteiros do mar, herdamos o nome utilizado na Marinha do Brasil!

Saiba mais: Alfabeto Fonético Internacional

A…………………..Alfa H…………………Hotel O……………….Oscar V……………….Victor
B………………..Bravo  I……………………Índia P…………………Papa W…………. Whiskey
C………………Charlie J………………….Juliet Q…………….Quebec X…………….. X-Ray
D……………….. Delta K……………………Kilo R……………..Romeo Y…………….Yankee
E…………………Echo L………………….Lima S……………….Sierra Z…………………Zulu
F………………Foxtrot M…………………Mike T……………….Tango
G………………….Golf N…………November U…………….Uniform

 I.B.O.A., pra quem não é a toa!

Pontualmente, como manda a tradição, às 9h o I.B.O.A. de Abertura teve início (I.B.O.A. = Inspeção, Bandeira, Oração e Avisos. Veja mais nesse link).
Após, cada Ramo foi convocado para dar início às suas atividades.

“Olhai bem, oh lobos!” – Ramo Lobinho

Promessa de Maria Luisa

Promessa de Maria Luisa

Hoje, no Ramo mais fofo do escotismo, nossa Lobinha Maria Luisa Ventura Leão teve sua cerimônia de promessa. Estiveram presentes seus pais Kelly Ventura e Glen Leão para prestigiá-la. Levavam em seus olhares um brilho especial.

A promessa é quando o Lobinho ou a Lobinha já estão preparados, já estão prontos e com muita certeza mesmo de que querem fazer parte da Alcateia. Já fizeram toda a progressão de integração e só daí podem fazer a promessa.

Chefe Sylvia Lessa, Akelá da Alcateia

As atividades do dia foram preparadas pela chefe Thaís. O tangran é uma atividade de raciocínio, inteligência como a KAA.  A atividade dos olhos vendados foi uma atividade de lateralidade e trabalho em equipe com orientações do ‘primo’ com olhos vendados para poder utilizar a coordenação motora e raciocínio lógico.

Finalizamos com a Roca de Conselho Extraordinária para organizar as matilhas. Nela, os lobinhos em experiência foram efetivados  e realocados e assim, encerramos as organizações das matilhas.

Investidura de Julia Ceotto

A família mobilizou-se para a investidura da Julia Ceotto

Antes do “caça-livre”, a lobinha Julia Ceotto também teve seu momento “Olhai bem, oh lobos!”. Veio boa parte de sua família junto com seus pais, Luciano e Luciana Ceotto, para assistir sua investidura!

A investidura acontece quando o lobinho acaba seu período de experiência. É uma integração à sua nova matilha. Aí também colocamos o lenço para que sejam identificados.
Os lobinhos sentem muita expectativa quando fazem a investidura, e depois que a obtêm, sentem muita felicidade, pois se sentem realmente integrados.

Chefe Sylvia Lessa – Akelá da Alcateia

Livros para além mar

Hoje também arrecadamos diversos livros de literatura infantis e juvenis para uma causa justa: Enviar para uma escola em Moçambique na África cujos alunos jamais tiveram a chance de conhecer esses nossos amigos de papel. Que esses livros queridos façam uma boa viagem até o outro continente e façam de seus futuros leitores pessoas mais instruídas e felizes!
Bom trabalho, Lobinhos! A foto com os livros arrecadados ficou bonita, mas nessa hora, alguns lobinhos já haviam partido. Acontece!

Melhor Possível!!

Regata de caiaque - Preparação para a largada

Regata de caiaque – Preparação para a largada

Ramo Escoteiro e a Competição de caiaque: braços pra que te quero!

Água, caiaque, remos e muita disposição! Esses escoteiros tiveram práticas de remo e competição em caiaque! E cobrou de todos os participantes muques bem preparados.
A atividade visou um treino geral sobre o assunto, com a competição como pano de fundo. Apesar de não ter progressão e nem especialidades em avaliação, garantiu uma atividade náutica com muitos ensinamentos, como por exemplo, sincronia de dois remadores, aumento da velocidade e até mesmo o jeito certo de desvirar a canoa para o caso de que a embarcação vire.
A chefia teve participação em caiaque, stand up paddle e na base (areia da praia), ajudando os jovens em suas dificuldades nas embarcações.

Pegamos os caiaques e remamos até o veleiro Iemanjá e depois voltamos à praia. A sincronização foi bem difícil pois teve gente que não conseguiu seguir junto. Foi muito bom, pois apesar de cansativo, nos divertimos muito e depois caímos n’água.

Escoteiro Marcos Soline Vieira, 14 anos, há dois no Ramo Escoteiros

Para Gabriel Cunha Salomão, 12 anos e há um no Ramo, a atividade foi bem cansativa, já que ele não faz muitas atividades físicas em seu dia-a-dia e exigiu muito de seus braços:

Foi bem difícil remar, principalmente em sincronização com quem estava junto na equipe.

A atividade de hoje foi show de bola! – disse Chefe Richardson. “Show de bola” ou “Show de braço”, hein, chefe? Aposto que estes escoteiros estarão reclamando de dor a semana inteira!

Sempre Alerta!

Torta de chantilly na cara pro Sênior que errar a pergunta!

As atividades de hoje foram no mínimo, curiosas!
Estava em cheque o conhecimento do Sênior que deveria estar preparado para o que aconteceria.

Na primeira atividade, tecnologia presente: o aplicativo de celular “Desafio Sênior” de progressão pessoal foi explicado pelo Chefe Luciano. O nível abordado foi o introdutório, mas falaram sobre todos os itens.

“Este aplicativo dos Escoteiros do Brasil permite ao usuário um controle detalhado do seu desenvolvimento durante o período Sênior (15 a 17 anos). Nele, é possível que o jovem observe os caminhos a serem seguidos, destaque suas conquistas, e alcance o distintivo máximo de seu Ramo.”
Legenda do App Desafio Sênior.

Depois, um jogo quebra-gelo foi aplicado – Ninja!

E logo após, o jogo Passa ou Repassa, com direito a torta de chantilly e perguntas bem desafiadoras. Gugu Liberato iria querer copiar estas perguntas! Os jogadores tinham que responder às perguntas, escolhendo uma das quatro alternativas que o jogo dava. E dá-lhe torta na cara dos que falharam!! Muitas risadas de todos do grupo, e de nós que assistíamos!

 

Outra atividade de conhecimento e informação foi a de colocar o distintivo na camisa do uniforme. Com fita adesiva eles foram colando os distintivos onde acreditavam que estava correto.

Que divertido! Assim fica fácil aprender!

Sempre Alerta Para Servir!

Relatório de Manutenção Corretiva

Josimar, Telmo e Ronilson - Diagnóstico do Iemanjá

Josimar, Telmo e Ronilson: Diagnóstico do Iemanjá

Os voluntários Ronilson Vieira, Telmo Dias e Josimar Thomy visitaram o nosso barco Iemanjá e fizeram uma inspeção cuidadosa na qual avaliaram casco, leme, hélice, parte elétrica e parte mecânica. Tiraram fotos e registraram todas as informações necessárias para produzir um relatório analítico de manutenção corretiva. Depois da reunião de planejamento ocorrida no sábado anterior, esse foi o segundo passo em direção ao objetivo final da Comissão Navegar é Preciso, a qual foi constituída pela diretoria do nosso Grupo com a missão de fazer com que o nosso lindo barco volte a navegar.

Temos o maior veleiro escoteiro do Brasil, o Iemanjá, e precisamos explorar todas os benefícios que ele pode oferecer ao Grupo. 

Jodelson Sabino, em 2/2/17 no Bate Papo com o Diretor Presidente 

O barco virou? Foi por querer … só para aprender a desvirar !!!

Aprendendo a desvirar o barco

Virando o barco só para aprender a desvirar

No domingo, 26/3, os bravos lobinhos e escoteiros que estão no curso de vela com Optimist tiveram uma lição sobre nós em terra e na água a lição do dia foi aprender a desvirar o barco. Uma lição importante para dar autoconfiança aos pequenos velejadores. Se o barco virar, eles devem saber como desvirar: Esse é um importante requisito de segurança para os nossos velejadores mirins. Uma a um eles foram orientados a virar o barco (de propósito!) para que fosse possível praticar os três passos seguintes:

  1. desvirar o barco;
  2. embarcar nele e depois
  3. retirar o excesso de água de seu interior.

Depois ainda deu tempo para algumas manobras de vai-e-vem contornando boias e aprendendo a controlar o barco com o vento em diversos ângulos.

ATENÇÃO: Próxima atividade NÃO será na Praia de Santa Helena

Aproveitamos para lembrar que as atividades da próxima semana ocorrerão dia 02 de abril, domingo, com início às 8h da manhã e que o local de encontro também não será o mesmo de sempre e sim em frente ao píer da Iemanjá, na Praia de Camburi. Participaremos da Caminhada Estadual de Conscientização de Autismo, mais uma ação social e solidária do nosso Grupo Escoteiro.

Todos deverão estar de traje escoteiro ou os que ainda não tem traje devem, de preferência, prestigiar a AMAES usando uma camisa comprada no local da concentração. Recomendamos aos pais, parentes e amigos do nosso Grupo Escoteiro que comparecerem ao evento também comprarem e usarem a camiseta da AMAES.
Lembrem-se: No dia 2/4 Nosso Grupo Escoteiro se juntará à AMAES

#JuntosSomosAmaes


Texto: Larissa Gastmann. Edição: Jodelson Sabino, Bernardo Vasconcellos , Graziela Oliveira Fotos: Breno Murta e Richardson Murta