Atividades, promessa e progressão no Ramo Escoteiro


Letícia e Sofia: Protagonistas das cerimônias de Promessa Escoteira mais recentes do Grupo

Letícia e Sofia: Promessa Escoteira recente

Uma Promessa Escoteira e uma entrega do cordão verde e amarelo, uma sessão prática de slack line e um tradicional jogo escoteiro com muita correria e animação, bem do jeitinho que os escoteiros gostam! Enquanto isso, vários adultos voluntários do nosso Grupo investiram em formação pessoal e integração com os demais voluntários do Movimento Escoteiro. Veja o resumo das atividades dos jovens do Ramo Escoteiro na manhã do último sábado e das atividades de alguns adultos voluntários do nosso Grupo Escoteiro durante esse feriado prolongado.

Letícia: Promessa escoteira

Logo depois do I.B.O.A. de abertura de sábado passado houve uma pausa para uma cerimônia carregada de emoção, na qual a escoteira Letícia Tolentino, da Tropa Escoteira Épsilon, Patrulha Morsa, fez a sua Promessa Escoteira.

Sob a sombra de uma castanheira frondosa e com o testemunho de seus pais, bem como dos chefes Richardson e Jacqueline, dos escoteiros da Tropa Épsilon e de dirigentes e pais de outros jovens ali presentes, Letícia se comprometeu, voluntariamente, a seguir a orientação moral e os princípios do Movimento Escoteiro, reconhecendo a existência da Lei Escoteira, composta dos dez artigos da REGRA 067 do POR.

Letícia foi integrada ao 11º/ES Grupo Escoteiro do Mar Ilha de Vitória em 28/5/2016, no dia do nosso primeiro Master Chef Escoteiro (lembram?). Semana passada ela participou do VII Acampilha e assistiu a promessa de sua colega escoteira Sofia Borges, sem saber que no sábado seguinte seria a sua vez, mas mostrou que estava preparada para esse momento, mostrando conhecimento da Lei Escoteira e fazendo de cor a declaração de sua promessa escoteira.

Após proferir solenemente as palavras da promessa, Letícia recebeu o distintivo e o certificado de promessa e, em seguida, os abraços emocionados de seus pais e os votos de boas vindas do Chefe da Patrulha e do Monitor de sua tropa.

Letícia, parabéns pelo seu grande passo nessa caminhada que se inicia. Só depende de você trilhar esse caminho com aventuras, conquistas, desafios, perseverança e, às vezes, alguma frustração. Você vai perceber que todos esses ingredientes fazem parte da estrada para chegar a essa grande conquista que a Thamirys conseguiu.

Eliana Rigo, Diretora Administrativa do 11º/ES Grupo Escoteiro do Mar Ilha de Vitória

Thamirys: Cordão verde e amarelo

Logo depois da promessa da escoteira Letícia, foi a vez da escoteira Thamirys Francez ser chamada pelo Chefe Richardson para receber o Cordão de Eficiência Verde Amarelo, o qual foi concedido pela diretoria do nosso Grupo Escoteiro, mediante proposta dos escotistas da Seção e especialmente recomendado pela Corte de Honra da Tropa Escoteira Épsilon depois de conquistar seis especialidades distribuídas nos cinco Ramos de Conhecimento.

O Cordão é um trançado com um fio verde e outro amarelo e será usado pela Thamirys em volta de seu ombro direito até que ela conquiste o Cordão de Eficiência Vermelho e Branco ou até que ela deixe o Ramo Escoteiro. A mãe o irmão mais novo da Thamirys, o lobinho Caio, participaram da cerimônia e juntos colocaram o cordão no ombro da Thamirys que, após receber os cumprimentos de toda a Tropa, pegou de volta o bastão de monitora da Patrulha Jacaré e assumiu a sua posição na formação.

Nessa vida existem muitos momentos em que passamos por turbulências e onde pensamos em parar, mas devemos prosseguir em busca dos nossos sonhos pois, no final, sempre haverá a Vitória.

Richardson Murta, Chefe da Tropa Escoteira Épsilon do 11º/ES Grupo Escoteiro do Mar Ilha de Vitória

Atividades: Slack Line, Buldogue, integração e tradições de marinharia

Depois das cerimônias de promessa e progressão, os escoteiros iniciaram a realização das Atividades de Patrulha. No decorrer da semana o Chefe Richardson solicitou que cada monitor preparasse uma atividade para a sua patrulha.

A atividade da Patrulha Jacaré foi a iniciação ao slack line. Para tanto, a monitora dessa patrulha, Thamirys Francez, convidou o seu irmão mais velho, Gustavo Francez, para montar os aparelhos necessários à realização da atividade, esticando a corda elástica entre dois coqueiros a uma altura apropriada para a prática por iniciantes. Thamirys, seu irmão e demais jovens da Patrulha Jacaré ajudavam os demais nos primeiros passos e na prática de acrobacias e equilíbrio.

O buldogue foi uma ideia de quebra-gelo do monitor da Patrulha Arraia, Eric Sabino, que coordenou a execução do jogo por todos os interessados da Tropa. Foi muita correria e gritaria acompanhadas de gargalhadas e quedas e no final todos saíram cansados, sujos e felizes para o I.B.O.A. de encerramento.

Além do slack line e do buldogue, a Patrulha Épsilon teve um momento de exploração do conhecimento mútuo e de discussão sobre suas progressões e sobre a prática de jogos escoteiros.

Complementando as atividades que visavam o desenvolvimento físico e a integração entre os jovens, Chefe Richardson ensinou sobre o Apito Marinheiro e deu algumas instruções básicas sobre o uso do mesmo para os escoteiros e escoteiras que o abordaram cheios de curiosidade, fazendo perguntas. o Apito Marinheiro é uma tradição dos homens do mar em várias culturas náuticas, nas diversas Marinhas ao redor do mundo e, em particular, é uma tradição na vida do Escoteiro do Mar.

Saiba mais: O que é “Buldogue”

Buldogue é um jogo escoteiro muito comum e conhecido que desenvolve as habilidades físicas de agilidade e velocidade dos jovens. Consiste em um grupo de jovens tentar passar de um lado para o outro de uma quadra ou um terreno qualquer. No nosso caso, os escoteiros demarcaram um campo imaginário numa área da praia. Inicialmente um escoteiro foi definido como sendo o “buldogue”. Os demais escoteiros saiam, todos juntos, de um lado do campo e tentavam chegar ao outro lado sem serem pegos. O “buldogue” tinha que pegar o outro e, cuidadosamente, derrubá-lo na areia, gritando “buldogue!”. O escoteiro que era pego passava a ajudar o “buldogue”, até que só sobrasse 1 um escoteiro que não era buldogue.

Planejando a próxima festa e recebendo dois visitantes do Movimento Escoteiro

Enquanto os jovens do Ramo Escoteiro desenvolviam as atividades do programa educativo, a Diretora Administrativa Jacqueline Sabino realizava uma reunião de trabalho com os membros da Comissão da Festa de Encerramento das Atividades de 2016. Estejam atentos pois a festa ocorrerá em 4/12/2016 e a programação será divulgada nos próximos dias.

No início de nossas atividades tivemos a grata surpresa de recebermos, no nosso local de encontro, a visita do Chefe Marcos Vinícius e sua neta, a lobinha Maria Eduarda, ambos do 017/ES Grupo Escoteiro Cidade das Cachoeiras, de Afonso Cláudio (ES). O Cidade das Cachoeiras foi fundado em 22 de Fevereiro de 2006 e esteve inativo durante os quatro últimos anos, mas atualmente está em processo de reabertura. Agradecemos ao 017/ES pela honra da visita e esperamos ansiosamente vê-los figurando entre os Grupos ativos do nosso Distrito Rio Jucu.

Voluntários do Grupo aproveitam o feriado para aperfeiçoamento e integração

No Movimento escoteiro, o Sistema de Formação de Adultos é parte fundamental no processo de aprendizagem do voluntário. Os adultos voluntários do 11º/ES Grupo Escoteiro do Mar Ilha de Vitória se preocupam em aproveitar as oportunidades de aperfeiçoamento oferecidas pela UEB Nacional e Regional de modo a poderem desempenhar suas responsabilidades no Escotismo da melhor forma possível.

Enquanto os jovens do ramo escoteiro, orientados pela chefia, praticavam o “aprender fazendo” e participavam de cerimônias escoteiras na Praia de Santa Helena, em Vitória (ES), alguns adultos voluntários, escotistas do Grupo, aproveitaram o feriado prolongado para trabalharem na continuidade de seus aperfeiçoamentos e na integração com outros voluntários do Movimento Escoteiro:

  • Os Chefes César, Cléber e Luciano, de 11 a 13/11 estiveram na Fazenda Incaper, em Linhares (ES), fazendo o Curso Básico, que é o segundo curso na grade de formação dos adultos voluntários que lidam diretamente com os jovens.
  • A Chefe Sylvia, de 12 a 14/11 esteve na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, em Curitiba (PR), participando do Indaba Centenário do Ramo Lobinho, um “Encontro Nacional de Velhos Lobos”, com várias oficinas, palestras e debates com o objetivo de reunir os escotistas do Ramos Lobinho para celebrar o centenário, compartilhar experiência e aprimorar a capacidade de aplicação do Programa Educativo do Ramo.

Saiba mais: O Centenário do Ramo Lobinhodistintivo_centenario_lobinho

No escotismo, participam do Ramo Lobinho crianças de 6,5 a 10 anos de idade. A comemoração do Centenário do Ramo Lobinho acontece em todo o mundo, marcada pela publicação do “Manual do Lobinho”, de Robert Baden-Powell, em 2 dezembro de 1916, que é aceito como marco para que esse ano seja considerado como o da fundação do Ramo Lobinho.

 


Redação, fotos e edição: Jodelson Sabino.