Por que contratar uma pessoa que já foi escoteira


Corrida

Corrida

Do mesmo modo que o termo “proficiência” sugere um alto nível de conhecimento de inglês, ler no curriculum que uma pessoa já foi um escoteiro garante que ela tem as características essenciais exigidas no mercado de trabalho atual. Você vai encontrar as 10 qualidades abaixo em um candidato que já foi escoteiro. E note que essas qualidades não tem nada a ver com a antiquada e incorreta imagem estereotipada de crianças de gravatinha vendendo palha italiana.

1. Ele sabe trabalhar em equipe

O candidato a emprego que já foi escoteiro pode ter até quinze anos de experiência prática em trabalho em equipe, com aplicação permanente do respeito ao próximo como um valor transversal. Montar uma barraca ou organizar um acampamento para dezenas ou centenas de pessoas como voluntário faz parte de seu leque de experiências de vida. O jeito escoteiro de aprender as coisas é naturalmente cooperativo e baseado em gestão de projetos.

2. Ele é criativo

Jovens escoteiros passam anos de suas vidas buscando soluções inovadoras em situações adversas. Por exemplo, eles podem ter tido que  improvisar telhados diante de uma tempestade inesperada ou preparar um programa completo de atividades baseadas no Livro da Jângal que mantenham motivadas 100 crianças durante 5 dias inteiros. Podem ter organizado uma campanha de arrecadação de doações para um asilo de idosos ou um orfanato da região onde moram ou para cobrir as despesas de um campo de refugiados na Síria.

3. Ele respeita seus valores e honra a sua palavra

Um profissional que já foi escoteiro está acostumado a planejar e realizar atividades usando os valores do escotismo, os quais são bem definidos e são similares ao “código de ética”, ao qual nos referimos no mundo profissional. Isso os faz alinhar as metas dos projetos dos quais participam com as suas paixões e interesses pessoais. A verdade, a nobreza, a justiça, a solidariedade e a confiança em suas palavras são valores inegociáveis no desenvolvimento de seus planos de ação.

4. Ele sabe como liderar e como ser liderado

Um escoteiro aprende, desde a idade de 6 anos, a tomar decisões e a trabalhar em mais de um projeto ao mesmo tempo. Em alguns casos sendo o líder e em outros casos sendo liderado por seus companheiros de equipe, sendo eles pessoas mais velhas, da mesma idade ou mais novas que ele.Quando em posições de liderança, ele pratica o consenso, a confiança mútua e a virtude de ser consistentes em suas decisões. Quando liderados eles aprendem a trabalhar em equipe com respeito, fomentando o consenso e a coesão.

5. Ele é empático

Assim como em uma empresa, em um Grupo Escoteiro há todo tipo de jovem e adulto, e diferentes idades capacidades e interesses. A empatia tem um papel fundamental para garantir a convivência e o apoio mútuo. O escoteiro aprende que todos não devem ter o mesmo peso em sua mochila, mas cada um deve ter em sua mochila apenas o peso que é capaz de carregar. Eles estão conscientes de que a melhor excursão não é aquela em que eles conseguem chegar a um local mais distante, mas aquela em que todos na equipe podem atingir a meta juntos.

Vitória, Raissa e Rosa

Todos na equipe podem atingir a meta juntos

6. Ele valoriza o esforço

Escoteiros remando

Esforço conjunto

Desde pequenos, as atividades direcionam os escoteiros a serem independentes, superarem suas limitações, mesmo em situações em que aparentemente é impossível ir adiante. os escoteiros aprendem também a sorrir diante das dificuldades e a se esforçar para atingir as metas propostas.

7. Ele sabe como definir e como avaliar o cumprimento das metas

Um escoteiro aprende, desde os 6 anos de idade, a definir suas metas, tanto pessoais, quanto de equipe e depois realizar a sua auto avaliação e a receber a avaliação dos demais. O feedback construtivo é, portanto, uma prática que o escoteiro domina completamente quando ingressa em sua vida profissional.

8. Ele é bondoso

o-escoteiro-é-bom“Doar” e “compartilhar” são os verbos mais presentes na vida de um escoteiro. A água que resta na garrafa não é do dono da garrafa, mas sim do que mais precisa da água naquele momento ou do que tem mais sede. Um adulto voluntário está disposto a investir centenas de horas de trabalho dedicado ao Movimento Escoteiro, ajudando crianças e jovens a se tornarem pessoas melhores.

9. Ele advoga contra a injustiça

Com o lema “por um mundo melhor” o fundamento pedagógico do escotismo se baseia no fato de que as crianças e os jovens são capazes de entender e praticar o seu potencial de melhorar o mundo em sua volta, serem corajosos para enfrentar e resolver seus desafios, não olhando para o outro lado diante das injustiças, mas atuando efetivamente para resolvê-las.

10. Ele é uma pessoa provida de recursos


Os escoteiros tem uma grande experiência em transformar reuniões em uma atividade mais dinâmica, inventar jogos e atividades para resolver conflitos, falar em público e encontrar a empresa que aluga vans pelo menor preço. Eles são aventureiros e dinâmicos e estão acostumados a resolver problemas de várias dimensões e formas.

Não são essas as habilidades que procuramos nas pessoas que queremos que façam parte da nossa equipe? 

  • Se você já foi um jovem escoteiro ou um adulto voluntário do Movimento Escoteiro, inclua essa informação em seu curriculum e fale sobre isso em sua entrevista de emprego
  • Se você está buscando adquirir novas habilidades e talentos para a vida e para o trabalho não perca a vantagem competitiva de ser um jovem escoteiro ou um adulto voluntário do Movimento Escoteiro
  • Se você é pai ou responsável interessado em educar suas crianças com habilidades essenciais para a vida, encoraje suas crianças a serem escoteiras, mesmo que isso implique em acordar cedo nos finais de semana.

Saiba mais sobre o escotismo e como participar do Movimento Escoteiro e ser mais uma das mais de 40 milhões de pessoas no mundo que trabalham juntas para construir um mundo melhor clicando nos links abaixo para obter mais detalhes sobre …


Artigo traduzido e adaptado por Jodelson Sabino do original “Why hire someone who has been a Scout”  disponível na página de notícias da WOSM, o qual foi traduzido do artigo intitulado “Por qué contratar a una persona que haya sido scout” publicado na revista Forbes espanhola de 5/9/2016.