11º Ajuri Nacional dos Escoteiros do Mar – Navegar é preciso!


 

 

 


 

 

 

Quem é do mar não tem medo!

Essa foi a frase que RICHARDSON MURTA, Assistente de Sessão do Ramo Escoteiro no 11º GEMar Ilha de Vitória, postou em sua página no acebook, ao compartilhar algumas das mais de 600 fotos que tirou durante o 11º Ajuri Nacional dos Escoteiros do Mar, ocorrido de 21 a 24/1/2016.

A sede do 11º Ajuri do Mar foi o Colégio Estadual Moysés Lupion, uma escola de ensino fundamental e médio, localizada na cidade litorânea de Antonina, no Paraná, a 80 km da capital.

Além da hospedagem no Colégio durante as três noites do evento, em regime de acantonamento, os nosso representantes pernoitaram no primeiro e último dia da viagem na sede do 16º Grupo Escoteiro do Mar Amigo Velho, em Curitiba (PR) e ficaram encantados ao conhecerem a infraestrutura do local que conta com uma oficina completa de reparo e construção de veleiros e outros equipamentos e recursos utilizados para a prática de atividades náuticas.

As atividades

Graças à equipe de organização do evento a programação foi cumprida de acordo com o previsto, com muitas oportunidades de integração, aprendizado e diversão para os escoteiros e seniores, o que ficou claro no sorriso estampado no rosto dos jovens de nosso grupo ao chegarem de volta de viagem no Aeroporto de Goiabeiras, em Vitória, onde foram recepcionados por seus familiares e pela Diretora do 11º GEMar Ilha de Vitória Sylvia Lessa. Felicidade, lição para a vida toda e exaustão foi o que trouxeram em suas mochilas, depois de viverem as intensas aventuras nos quatro dias da programação, que podem ser resumidos como segue:

  • Prática de vela na Baia de Antonina;
  • Noite cultural, onde os participantes foram convidados a apresentar um pouco de sua cultura local;
  • Construção de barcos e navegação pelo mangue nos barcos que eles mesmos construíram;
  • Passeio pela Ilha do Mel, com direito a banho de mar;
  • Luau temático em que os trajes dos participantes eram alusivos ao mar

 

IBOA na XI Ajuri Nacional dos Escoteiros do Mar

IBOA na 11º Ajuri Nacional dos Escoteiros do Mar, Antonina, PR, Janeiro de 2016

Segurança também foi um fator de destaque nesse evento. Cada participante levou o seu colete salva-vidas e a organização do Ajuri manteve equipes de primeiros socorros nos locais onde foram realizadas as atividades de risco e um ambulatório próprio, na área do Ajuri, para atendimentos com urgência, caso fosse necessário. As atividades náuticas eram sempre precedidas de instruções que pudessem ser entendidas até para os grupos que tinham pouca ou nenhuma prática de navegação e eram sempre realizadas com o acompanhamento de perto de adultos com conhecimento e experiência no ramo.

Nota-se, pelo depoimento dos jovens que participaram do evento, que a experiência de amadurecimento foi marcante, desde a oportunidade de resolver pequenos imprevistos, como o reparo de um uniforme rasgado até o treinamento sobre construção de embarcações e técnicas de navegação.

Depoimentos

 

Veja o depoimento dos representantes do 11º Grupo Escoteiro do Mar Ilha de Vitória depois que voltaram do evento:

Eu gostei muito do ajuri, pois foi o meu primeiro acampamento nacional e eu achei muito da , lá eu fiz muitas amizades e aproveitei muito mais do que nos nossos acampamentos internos, porque teve atividades que eu nunca tinha feito antes …

Gostei de ir à Ilha do Mel, gostei de construir o barco que nós usamos para navegar no mangue, tive uma ótima experiência de aprender como andar de barco a vela e como montar um “dingue” (tipo de barco a vela).

Conheci três guris do sul que se chamavam: Vinícius, Lívia e Mariana e que eram muito legais. Conheci também pessoas de São Paulo, Rio de Janeiro e de outros lugares.

Eric Sabino, Escoteiro do Mar 

Foi uma experiência única tanto para mim quanto para os jovens. Aprendemos mais sobre a modalidade do mar e sobre atividades náuticas, conhecemos pessoas e lugares maravilhosos. O Ajuri foi encantador e surpreendente, pois éramos marujos de primeira viagem. Que venham os próximos!

Richardson Murta, Assistente do Ramo Escoteiro

Antes da Ajuri começar eu estava com medo de ir. Na hora que entrei na sala de embarque, pensei até em desistir, voltar para casa e ficar com a minha família mas não desisti porque, ao mesmo tempo, eu estava muito ansiosa por viajar pela primeira vez para o Sul do país e ainda em companhia de meus amigos.

Durante os seis dias longe de casa, passei por novas experiências e fiz novos amigos que levarei pela vida toda, já que alguns deles já considero como irmãos. Além disso, construi um barco, velejei, conheci a cultura de outros estados e muitas coisas mais. Em resumo, adorei esse acampamento. Não teria como ser melhor! Superou as minhas expectativas e já estou ansiosa para o próximo.

Aitana Eler Lucas, Escoteira do Mar

O que mais gostei da Ajuri foi que eu construí um barco de madeira e lona e conseguimos navegar com ele depois. Se tiver Ajuri no ano que vem, eu quero ir!

Erick Kenzo, Escoteiro do Mar

Um fato interessante que aconteceu comigo foi que, quando estávamos no início do passeio na Ilha do Mel, antes da trilha, meu óculos caiu e ficou preso embaixo de uma fresta do gradeado de madeira de modo que não era possível alcançá-lo com as mãos. O Eric e o Kenzo construíram uma ferramenta improvisada, utilizando um lacre de metal e o lenço escoteiro de um deles para alcançar o meu óculos e assim conseguiram “resgatá-lo”.

Gostei muito também de fazer novas amizades como, por exemplo, o pessoal do 11º Grupo escoteiro do Mar Carmo, de Santos (SP), do 17º Grupo Escoteiro do Mar Barão de Teffé, de Caxias do Sul (RS) e do 360º Grupo Escoteiro Primeiro de Brownsea, de São Paulo (SP).

Thamirys Francez, Escoteira do Mar

A melhor experiência para mim foi navegar no barco a remo que nós mesmos construímos. O ponto alto foi quando o nosso barco encalhou e descemos do barco para desencalhá-lo. Tivemos que empurrar e em alguns pontos até levantar o barco! Além disso, acabamos ajudando os grupos das outras tropas que também encalharam perto de nós. A nossa ajuda foi muito importante para uma tropa que tinha menos pessoas que a nossa e que estava com os barcos mais carregados que os nossos, com as coisas deles.

Vitória Tavares, Escoteira do Mar

As fotos

Clique na foto abaixo para ter acesso a uma seleção de menos de cem das centenas de fotos dos nossos jovens no 11º Ajuri Nacional dos Escoteiros do Mar, disponível no álbum correspondente em nossa página no flickr.

Participação dos Escoteiros do Ilha no 11º Ajuri Nacional dos Escoteiros do Mar


Créditos das mídias utilizadas nesse artigo:
As fotos publicadas no álbum referenciado do flickr e a foto do I.B.O.A. são de Richardson Murta.
As demais mídias (três fotos e um vídeo) são da página original Escoteiros do Brasil. O site escoteirosdoilha.org obteve em 26/01/2016 autorização por escrito para publicação dessas mídias.